O que é ser mãe de criança com deficiência!

É ser mãe. Uma mãe como as outras, que carrega seu bebê por nove meses no ventre. Que aguarda ansiosa a chegada do seu filho, prepara o enxoval, lava as roupinhas, faz chá de fraldas, sonha com o que o filho vai ser quando crescer…

Esta é a mãe de uma criança com deficiência.

Quando há o diagnóstico da deficiência ou mesmo da síndrome, vem o desespero, e não culpando Deus por ter nos mandado uma criança diferente das outras, mas como está criança será recebida, quais serão suas dificuldades? Que atenções serão necessárias? Ela vai falar? Ela vai caminhar? Ela vai poder ir pra escola? Vai ter amigos… Isto nos leva ao desespero, porém como somos Mães, nos surge uma força imensa e inexplicável que nos faz seguir adiante e esperar com ainda mais alegria por esta criança.

Aprendendo a Ser Mãe de uma Criança com Deficiência
Como lidar com o nascimento de um bebê com deficiência
Sou mãe de uma criança com deficiência

Chega o momento do nascimento e ao olhar para a face daquele anjo, não há deficiência nenhuma que supere o amor.

No entanto, quando a criança nasce normal, o sentimento de amor é igual, resplandece aos olhos e nos enche o coração.

Os dias, os meses passam. Dias sem dormir, semanas intermináveis, onde a única vontade que temos é de nos encostarmos em algum canto e tirar um cochilo, mas a menor movimentação do bebê nos faz saltar para atendê-lo.

Percebe-se então que o bebê que era até então “normal” tem alguns sinais e ao investigarmos estes sinais, nos deparamos com o inesperado. SEU FILHO TEM UMA SÍNDROME INCURÁVEL!! O desespero!!! Quando não temos uma pessoa com deficiência em nossa família, muitas vezes não nos importamos em buscar maiores conhecimentos na área, mesmo trabalhando com isso, então começamos a ler e quanto mais líamos, mas desesperados ficávamos. Os estudos só nos mostram que não há o que fazer, apenas esperar o inevitável.

Porém nestes momentos de desespero Deus coloca em nosso caminho anjos que nos ajudam a prosseguir.

Neste caminho há muitos percalços, muitas decaídas, mas a fé nos faz ir adiante e conforme nos voltamos para Deus, mais respostas encontramos.

No entanto, não deixamos de amar nosso filho, ou mesmo de sermos mães. Nestes momentos é que nos tornamos verdadeiras leoas por eles, para garantir seus direitos e fazer com que tenham acesso ao máximo possível.

Como é indignante pessoas que não nos conhece, que não conhece nossas lutas ficarem fazendo comentários, para outras pessoas, ou até mesmo para nós. Quantos lugares que cheguei que pessoas que nunca tinham me visto, nem falam comigo, pediram: Ele é Down? Ou pobrezinho!! Me indigna porque não te param na rua e te dizem: Credo como você está gorda ou como você está feia ou ,mesmo, porque teus olhos são assim, teu nariz é assim, porque tu caminha rápido? Ou ainda ele é excepcional!!! CLARO QUE É ELE É UM FILHO EXCEPCIONAL, Mas O SEU NÃO É? E o mais indignante, se tiver que ir que Deus leve e te dê um normal!!! Eu posso até querer ter outro filho, mas eu também quero o meu filho.

O que um filho com deficiência ou síndrome nos ensina: que a vida tem que ser vivida em cada momento, que o amanhã não é de ninguém e que apenas Deus tem o poder de decidir sobre nossas vidas. Que tem coisas que não são tão importantes como pensávamos e que o tempo que passamos com quem amamos é valioso e eterno.

Meu filho é o melhor presente que Deus me deu!! Ao chegar em casa e ver seu sorriso, mesmo tendo todos os motivos para chorar eu só posso sorrir e agradecer a Deus por ele estar comigo.

Esta é uma parte da rotina de uma mãe com um filho com deficiência.

Daniela Bressiani

Fonte: http://radio961fm.com.br

Vera Garcia

Pedagoga e blogueira. Criadora dos blogs Deficiente Ciente, Raridade e Criança Especial.

Website: http://www.criancaespecial.com.br