O que é Síndrome de Crouzon?

A síndrome de Crouzon, também conhecida por Disostose crânio-facial, é uma doença rara onde há um fechamento prematuro das suturas do crânio levando a diversas alterações cranianas e faciais. Além disso a síndrome pode gerar alterações em todos os sistemas do corpo, fazendo com que o paciente tenha que ser submetido a diversas cirurgias durante a vida.

Seu diagnóstico pode ser feito através do exame citologia genética durante a gravidez, ao nascer ou durante o primeiro ano de vida, mas geralmente só é detectada aos 2 anos de idade quando as deformidades mostram-se mais pronunciadas.

Características da Síndrome de Crouzon

As características da criança afetada com a síndrome de Crouzon são:

  • Deformidades no crânio, a cabeça passa a adotar um aspecto de torre e a nuca fica mais achatada;
  • Alterações faciais como olhos protuberantes e mais afastados que o normal, nariz alargado, estrabismo, ceratoconjuntivite, diferença no tamanho das pupilas: Movimentos rápidos e repetitivos dos olhos;
  • QI abaixo do normal;
  • Surdez;
  • Dificuldade de aprendizagem;
  • Mal formação cardíaca;
  • Transtorno do deficit de atenção;
  • Alterações do comportamento;
  • Manchas aveludas de cor marrom à preta na virilha, pescoço e/ou debaixo do braço.

As causas da síndrome de Crouzon são genéticas mas a idade dos pais pode interferir e aumentar as chances do bebê nascer com esta síndrome, pois quanto mais velhos forem os pais, maiores são as chances de deformidades genéticas.

Veja também: Ticiane Pinheiro faz linda declaração para filha Rafaella que tem estenose craniofacial

Tratamento para Síndrome de Crouzon

Não existe um tratamento específico que cure a síndrome de Crouzon e por isso a criança pode ser submetida a diversas cirurgias no crânio a fim de:

  • Aumentar o espaço entre as suturas ósseas, para dar mais espaço para que o cérebro desenvolver-se o mais próximo do normal;
  • Com o intuito de diminuir a hipertensão intracraniana;
  • Para melhorar a aparência do rosto.

Além disso a criança deve fazer fisioterapia e terapia ocupacional por algum tempo. O objetivo da fisioterapia será melhorar a qualidade de vida da criança e levá-la a um desenvolvimento psicomotor o mais próximo do normal possível. Psicoterapia e fonoaudiologia também são formas complementares de tratamento, e a cirurgia plástica também é benéfica para melhorar o aspecto facial e melhorar a auto-estima do paciente.

Fonte: https://www.tuasaude.com

Vera Garcia

Pedagoga e blogueira. Criadora dos blogs Deficiente Ciente, Raridade e Criança Especial.

Website: http://www.criancaespecial.com.br